yamaha cenas de teste

A qualidade dos materiais empregues no fabrico das embarcações é uma das principais preocupações dos responsáveis pelo estaleiro. Segundo um dos gestores da fábrica “…Para além de pessoas qualquer organização só consegue obter bons resultados com a melhor selecção de materiais e máquinas. A escolha das matérias-primas definem a qualidade dos projectos de uma empresa, essa escolha depende muito dos fornecedores. A SeaRib`s procura com os fornecedores a melhor selecção de materiais para a concepção dos seus trabalhos, o lema é trabalhar com qualidade de modo a que o produto final seja aprovado.
A qualidade deverá ser entendida como uma consequência expressa no produto e como uma evidência transversal às funções e actividades de qualquer marca. Ser profissional é ser eficiente, é trabalhar com rigor para alcançar os seus projectos. A SeaRib`s uniu estes dois valores ao trabalhar com profissionalismo e qualidade, sendo reconhecida pelo seu trabalho e ocupando um lugar credível na sua actividade. Temos assim na qualidade e no profissionalismo uma das nossas permanentes prioridades.
A fiabilidade e robustez das embarcações com a assinatura SeaRib`s estão essencialmente ligadas ao facto dos flutuadores utilizados nesta actividade terem como base de construção o Hipalon/Neoprene. Este material faz com que as embarcações possuam uma resistência mecânica superior, maior flexibilidade desta e simultaneamente resistência ao hidrocarboneto. A elaboração dos cascos nas embarcações da SeaRib`s recai num material denominado resina de poliéster insaturado isoftálica. Esta matéria-prima caracteriza-se pela excelente resistência à hidrolises, aos impactos e respectivos fenómenos de osmose e meio marinho…”
O 450 Open
Estamos perante um conjunto ideal para quem se quer iniciar na náutica de recreio, não querendo gastar muito dinheiro e que apenas tem a Carta de Marinheiro.
O conceito de semi-rígido é ideal pois, transmite segurança ao utilizador, é fácil de manobrar dentro dos portos e marinas e o seu transporte não levanta qualquer dificuldade. Este conjunto tem todos esses atributos conseguidos, entre outros, através de um lay-out interior que recorre à clássica consola central, banco duplo para piloto e acompanhante e, por fim um espaço à proa para um pequeno solário.
O espaço interior não é grande mas, também não poderia ser tendo em conta as características da embarcação. Contudo, a capacidade de arrumação está num bom nível graças aos inúmeros espaços para arrumos existentes como, por exemplo, no interior do banco, na consola e à proa. Bem como a circulação a bordo.
O SeaRibs 450 Open estava equipado com um motor Yamaha de 30 Cv de potência que pertence à última geração de motores deste fabricante japonês. As condições na ria de Aveiro estavam ideais para experimentar o conjunto pois não soprava vento e a água estava calma. Com dois adultos a bordo o conjunto sai rápido da água e apenas em 2,36 s estávamos a planar e, no teste de aceleração chegámos às 5000 rpm em 9,28 s e a fazer uma velocidade de 18 nós. Devemos ter alguma atenção na distribuição dos pesos em embarcações com estas características (curtas de comprimento e com potência baixa) pois, são muito sensíveis e uma má distribuição irá afectar o rendimento.
A condução no SeaRibs 450 Open é divertida, o conjunto mantém-se a planar às 3600 rpm e a fazer 10 nós. A resposta à solicitações do piloto são rápidas e sem quebras e, a velocidade máxima alcançada foi de 20 nós e às 5500 rpm. Nesta situação extrema, o conjunto esteve sempre sobre controlo e sem reacções estranhas.

Comments

Comments

comentarios

Comments are closed.